perfumes

Jardin des Roses Mahogany

Jardin des Roses é o perfume escolhido de hoje para entrar no clima da primavera, a estação das flores!

É um perfume fresco, classificado pela Mahogany como floral frutal musk. Ideal para climas quentes e para quem gosta de fragrâncias delicadas.

Segundo a Mahogany: Jardin des Roses é arte traduzida em cosmético. A exclusiva obra de Simone Campos foi carinhosamente traduzida para embalagem, que revela uma sofisticada essência floral, ideal para mulheres refinadas. Fragrância elegante, feminina, sonhadora e muito charmosa. Uma imersão em um lindo jardim de rosas frescas e delicadas, essa é a sensação ao experimentar essa envolvente fragrância.

 

Entre as notas que compõem o perfume, o que mais sinto na minha pele são as rosas, extrato de champanhe, o musk e o sândalo, que dá uma adocicada na fragrância.

  • Notas de Saída: Laranja, Tangerina, Notas Verdes e Groselha.
  • Notas de Corpo: Rosa, Jasmim, Frutas Amarelas e Vermelhas, Pêssego, Mugue e Extrato de Champagne.
  • Notas de Fundo: Musk, Cedro e Sândalo.

O frasco que é um vidro fosco de cor rosé, possui tampa simples de plástico, válvula de rosquear e vem com 145ml. Pode-se adquirir o refil que é vendido pela marca e reutilizar o vidro. O refil vem com 155ml de líquido.

Por se tratar de uma fragrância desodorante, sua fixação é de média a baixa, tendo que reaplicar após cerca de 3h. A projeção é moderada, não é do tipo que deixa rastro, mas é possível sentir sem ter que encostar o nariz na pele. É notado pelas pessoas que se aproximam.

Perfume fácil de agradar, e que não agride o olfato de ninguem. A sensação transmitida por ele é de que a pessoa que o usa é naturalmente cheirosa ou que acabou de tomar banho com aqueles sabonetes chiques com pétalas de rosas.

Onde comprar: Nas lojas físicas ou virtual da Mahogany (aqui) ou com alguma revendedora, já que a marca também trabalha com vendas por catálogos.


Te convido a conhecer e curtir a página do blog no Facebook: https://www.facebook.com/bemmequeroblog e no Instagram: @bemmequeroblog https://www.instagram.com/bemmequeroblog e fique sabendo sempre que tiver resenhas e posts novos!

bem-me-quero

Depressão é doença, precisamos falar – Minha experiência

Essa semana eu reativei o instagram do blog (@bemmequeroblog) e fiz um post contado que um dos motivos do meu sumiço foi a depressão! Depois disso recebi mensagens e relatos de pessoas que também estão passando ou conseguiram superar essa doença e uma coisa me chamou atenção: apesar desse assunto ser bastante comentado – É considerada a doença do século XXI, a maioria das pessoas não se sentem à vontade em falar sobre isso com pessoas próximas. E eu me incluo nesse grupo!

O medo ou vergonha do julgamento, do olhar torto ou de dó das outras pessoas, de se sentir vulnerável, faz com que o doente escolha passar por isso sozinho. Algumas pessoas até conseguem vencer essa doença sem ajuda, mas segundo pesquisas e experiência própria, não é a melhor solução! Pelo contrário, falando de mim, as vezes em que eu preferi ficar quieta e não contar com ninguém, eu me afundei cada vez mais!

Superar esse medo ou vergonha e buscar ajuda é o segundo passo para quem quer superar esse quadro. O primeiro, acredito que seja reconhecer que a Depressão é sim uma doença! O medo do julgamento muitas vezes surge porque a própria pessoa não tem consciência que está doente.

Comigo foi assim:

Eu achava que eu era muito desanimada, não conseguia me entusiasmar ou me divertir com mais nada, ou que eu era sedentária mesmo e ponto, passei a questionar se eu não era inteligente o suficiente para ter uma profissão que me deixasse satisfeita, ou que só fazia escolhas erradas na vida. Foi através de uma conversa com um amigo que comecei a entender que todo esse pessimismo, desânimo e baixa autoestima era Depressão. A partir daí deveria ser fácil, né? Vou ao psicólogo ou no psiquiatra, pego a receita de remédios, tomo e estarei curada. Não!

Eu não queria aceitar que estava com depressão: Como eu ia falar isso para a minha família? Vão falar que isso é frescura, preguiça, “falta do que fazer” (como já ouvi uma vez). E enquanto a depressão só afetava os meus pensamentos e um pouco com o meu cuidado com a aparência, fui levando.

Mas quando começou a me causar cansaço físico é que dei o primeiro passo para me tratar. Eu passei a ter dificuldades para dormir, e garanto, não era “falta do que fazer”… Eu trabalhava de segunda a sábado, ia para faculdade a noite, vários trabalhos acadêmicos para fazer, estava esgotada, muito cansada mesmo, mas o cérebro não desligava, deitava na cama e não conseguia dormir! Aí no outro dia, ia trabalhar com sono, não rendia, não conseguia me concentrar, e a noite a insônia se repetia.

Bom, vou ao médico pegar receita de remédio para dormir. Marquei consulta com o clínico geral. O que eu não sabia era que só psiquiatras poderiam receitar esse tipo de medicamento. Psiquiatra? Pronto, agora que eu vou mesmo obter o meu “atestado de loucura”. Fui, e na primeira consulta com o psiquiatra saí de lá com a receita do remédio, encaminhamento para terapia com psicólogo e um atestado de afastamento do trabalho com CID 10 F32. Nem preciso dizer que eu nem queria entregar o tal atestado para a empresa, outra vez o medo do julgamento ou até demissão!

E aqui é o ponto onde eu queria chegar:

A depressão é classificada como uma doença pela OMS (Organização Mundial da saúde) através do CID-10 (Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde) F32 que diz:

  • CID-10 F32 Episódios Depressivos

Nos episódios típicos de cada um dos três graus de depressão: leve, moderado ou grave, o paciente apresenta um rebaixamento do humor, redução da energia e diminuição da atividade. Existe alteração da capacidade de experimentar o prazer, perda de interesse, diminuição da capacidade de concentração, associadas em geral à fadiga importante, mesmo após um esforço mínimo. Observam-se em geral problemas do sono e diminuição do apetite. Existe quase sempre uma diminuição da auto-estima e da autoconfiança e frequentemente idéias de culpabilidade e ou de indignidade, mesmo nas formas leves. O humor depressivo varia pouco de dia para dia ou segundo as circunstâncias e pode se acompanhar de sintomas ditos “somáticos”, por exemplo perda de interesse ou prazer, despertar matinal precoce, várias horas antes da hora habitual de despertar, agravamento matinal da depressão, lentidão psicomotora importante, agitação, perda de apetite, perda de peso e perda da libido. O número e a gravidade dos sintomas permitem determinar três graus de um episódio depressivo: leve, moderado e grave.

(Fonte: http://www.datasus.gov.br/cid10/V2008/WebHelp/f30_f39.htm)

 

Dos 12 sintomas apresentados nesse trecho, eu me identifiquei em 11. Antes mesmo do medo do julgamento das pessoas, eu mesma estava me pré-julgando e não aceitando a depressão como doença!

Se você está passando por isso, reconheça para si mesmo, encare que está doente e precisa ser tratado! Depois busque ajuda, fale para alguém próximo de você, não tenha medo do julgamento, mas se mesmo assim alguém realmente te julgar, mostre isso a ele, olha aí o reconhecimento pela OMS!

A depressão é uma doença incapacitante, e pode levar até ao suicídio. Por diversas vezes eu tive vontade de não existir mais, nunca cheguei ao ponto de atentar contra minha vida, mas infelizmente muitas pessoas acabam se suicidando. E pegando um gancho nesse assunto, estamos no Setembro Amarelo e podemos ver diversas campanhas de prevenção ao suicídio. Se você está passando por um episódio de depressão agora, FALE! Não guarde para si, busque ajuda! Se quiser conversar estou à disposição, me encontre nas redes sociais ou nos comentários aqui do post mesmo, os comentários são privados, só eu consigo ler antes da aprovação!

Vou encerrar o post porque já ficou muito longo, farei uma continuação quando for necessário.

Postado por
Comente!
cabelos

Dica para tirar a umectação dos cabelos: Creme antes do shampoo

Tirar a umectação dos cabelos é uma tarefa simples, mas que precisa de um certo cuidado, ou todo o seu tratamento terá sido em vão!

Frequentemente eu leio e ouço as adeptas da umectação dizendo que lavam os cabelos 2, 3 vezes com shampoo até tirar todo o óleo. Não gente, para!

Outras dizem que não fazem umectação nos cabelos justamente por causa do trabalho que dá tirar o óleo dos cabelos depois. Mas não precisa ser trabalhoso, na verdade é bem simples: Use creme antes do shampoo!

Se você usa 2, 3 demãos de shampoo que seriam necessárias para retirar o óleo dos cabelos, vai retirar também todo o efeito da umectação. Inclusive já li/ouvi algumas meninas dizendo que o cabelo fica “pior” ou mais ressecado depois que faz a umectação. Na verdade, fica “pior” por conta de tanto shampoo que foi utilizado para retirar o óleo!

Você pode usar qualquer creme nesse procedimento, seja creme multifuncional, condicionar, máscara… esses que eu coloquei na imagem acima são apenas sugestões. Eu indico os mais baratinhos, ou até mesmo aquela máscara ou condicionador que você não gostou do efeito final nos seus cabelos.

A função desse creme será apenas de proteger os cabelos, como um pré-shampoo mesmo, e preservar o tratamento da umectação.

Na hora de tirar a umectação, depois que você deixou o tempo de pausa necessário, molhe os cabelos e aplique creme em grande quantidade (por isso é bom usar um baratinho) em todo o cabelo e inclusive na raíz, massageie um pouco e enxágue.

Dependendo do óleo utilizado na umectação (se for um óleo muito denso), é necessário repetir esse procedimento.

Depois é só proceder à lavagem normalmente: aplique shampoo, depois o condicionador ou máscara de preferência para selar as cutículas e preservar ainda mais o tratamento da umectação e finalize como de costume.

Dessa forma fica bem mais fácil retirar o óleo dos cabelos e você não desgasta os fios ao usar tanto shampoo, o que compromete o resultado da umectação!

Atualizando:

Conheça o Método U.C.P.E, um tratamento que preserva os benefícios da umectação e facilita muito retirar os óleos dos fios. Post Aqui


Te convido a conhecer e curtir a página do blog no Facebook: https://www.facebook.com/bemmequeroblog e no Instagram: @bemmequeroblog https://www.instagram.com/bemmequeroblog e fique sabendo sempre que tiver resenhas e posts novos!

perfumes

Make me Fever Gold – Mahogany

Make me fever gold é com certeza um dos perfumes mais comentados entre os apreciadores de perfumes nos grupos e redes sociais. Visite qualquer grupo de apaixonados por perfumes nas redes sociais e verá! Foi isso que atiçou minha curiosidade em adquirir esse lindo frasco no formato de barra dourada – lindo!

Na loja da Mahogany, as vendedoras confirmam o sucesso, vendem muito!

Make me fever gold é uma fragrância floral fresca que transmite sofisticação e leveza.

Na minha opinião ele combina muito com climas amenos e frios. Não que ele não possa ser usado no verão, mas a fragrância combina tão bem com a primavera e outono, que ele se tornou o perfume que amo usar nessas estações. Combina com céu limpo, tempo fresco.

Puro glamour! A mulher que marca presença, deixa sua assinatura por onde passa e ainda assim é feminina e sensual, é a mulher de Make me Fever Gold. Com fragrância requintada e moderna, possui deliciosa combinação de flores de maneira irresistível.

Eu não sou muito fã de perfumes unicamente florais, pra mim tem que ter uma frutinha, uma baunilha… algo que torne o perfume adocicado.

O MMFG não tem nada disso, mas mesmo assim me ganhou, é facílimo de agradar! É muito versátil, e faltava um perfume assim na minha coleção, que pudesse ser usado tanto em ocasiões mais formais como em ocasiões mais descontraídas.

  • Notas de Saída: Bergamota e Lichia
  • Notas de Corpo: Rosa, Gerânio e Lírio do Vale
  • Notas de Fundo: Cedro, Almíscar Branco e Rosa

Assim que borrifado ele tem a saída bem  forte, que me assustou na primeira vez que o senti, cheiro de folhas verdes. Mas depois esse cheiro vai suavizando e dando lugar ao almíscar e à Rosa, deixando a fragrância sofisticada e feminina. Cheiro de limpeza, isso é o que ele mais me transmite, e eu amo isso! A fixação é excelente por ser um desodorante, mais de 6h com certeza. E a projeção eu considero moderada, do tipo que as pessoas sentem, mas não invade o espaço do outro!

Indico para pessoas que querem um perfume versátil, mas que goste de fragrâncias florais!

Ah, ele é idêntico ao Chloé, então para quem gosta, é uma ótima opção para economizar o importado!

Onde encontrar: Lojas fisicas e Loja Virtual da Mahogany (AQUI)


Te convido a conhecer e curtir a página do blog no Facebook: https://www.facebook.com/bemmequeroblog e no Instagram: @bemmequeroblog https://www.instagram.com/bemmequeroblog e fique sabendo sempre que tiver resenhas e posts novos!

cabelos

Shampoo Desamarelador Bleach Blondes – Lee Stafford

Faz um tempo que eu não usava o shampoo desamarelador Bleach Blondes do Lee Staford, mas como estou em um processo de terminar os produtos que tenho antes de adquirir novos, resolvi usá-lo hoje e quis aproveitar para escrever uma resenha dele aqui.

O que diz a marca: Realça o tom dos cabelos loiros, clareia levemente o tom, refresca e restaura seus cabelos loiros, proporcionando uma excelente hidratação.

Desenvolvido com complexo Pro-Blonde: Panthenol, Camomila e extrato de semente moringa, ajuda a manter os cabelos limpos, enquanto destaca o seu brilho natural com proteção da cor.

Eu gosto de usar alguns dias depois do retoque de luzes ou quando o cabelo não está muito amarelão ou alaranjado.

Ele é um shampoo translúcido roxo de boa consistência, nem ralo demais e nem daquele tipo “geléia”, que cumpre com a função de desAMARELAR! Isso quer dizer que se o objetivo é matizar um cabelo alaranjado ou acinzentar o tom de loiro, ele não é o indicado!

Seu efeito é bem suave, clareando a oxidação em 1 a 2 tons no máximo.

O meu cabelo é do tipo que fica bem alaranjado após algum tempo de descoloração. Nesse período, o efeito neutralizador da cor do Bleach Blondes é quase imperceptível.  Só dá para notar diferença mesmo nas mechas mais clarinhas, porque aí ele dá uma “limpada” nessas mechas, deixando próximo ao tom de quando foi descolorido.

Foto com a mesma blusa para não interferir na cor de fundo.

(Favor não reparar na minha raíz crescida e amassada e minhas olheiras, obrigada!)

Ele não chega a deixar os cabelos ressecados, mas também não é do tipo hidratante, o que é aceitável para esse tipo de produto. Sendo assim, gosto de aplicar uma máscara depois para dar mais maciez ao cabelo, mas isso é com todos os shampoos desamareladores/matizadores e até alguns dos comuns, porque meus cabelos são bem finos.

A marca indica o uso 1 vez por semana. E tem também uma outra versão lançada depois desse que é para uso diário, mas que ainda não testei.

Então, se começar a usar depois da descoloração ou depois de uma matização mesmo, toda semana, ele ajuda a manter o tom. Mas usar quando a cor já oxidou, não vai “funcionar” mesmo. Para esses casos do cabelo já oxidado, bem amarelo ou alaranjado, é necessário fazer uma matização com banho de brilho (onde é usado tinta de cabelo + loção reveladora) ou shampoo/produto específico para isso.

O meu está no fim e talvez eu compraria novamente para esse propósito: manter o tom já matizado usando 1 vez por semana para evitar a oxidação da cor. Digo talvez porque existem outros que fazem esse mesmo efeito de manutenção no meu cabelo e são mais baratinhos.

Tem para vender no site da Beleza na Web (AQUI) O preço varia de R$50 a R$65.


Te convido a conhecer e curtir a página do blog no Facebook: https://www.facebook.com/bemmequeroblog e no Instagram: @bemmequeroblog https://www.instagram.com/bemmequeroblog e fique sabendo sempre que tiver resenhas e posts novos!

Postado por
Comente!